Editorias
Sexta-feira, 22 de Março de 2019 15:57 - Meio Ambiente, Pesca e Agricultura

Adiada pesca monitorada do bagre no estuário do Rio Tramandaí

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), através do Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos da instituição (CECLIMAR), informa que foi adiada para 1° de maio a pesca do bagre na região do estuário do Rio Tramandaí. O comunicado, anunciado em reunião na Câmara de Vereadores nessa sexta-feira (22), ocorreu devido a atrasos de repasses financeiros pelo Governo Federal. A parceria com a Prefeitura de Imbé prevê a liberação de R$ 1,3 milhão a serem usados ao longo dos três anos e meio de duração do projeto para contratação de pessoal, compra de equipamentos como computadores tablets, veículo e lancha com motor para o monitoramento do peixe.

 

Conforme o vice-prefeito Ique Vedovato, que esteve presente no encontro, profissionais que trabalharão no monitoramento da pesca do estuário da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí serão contratados com os recursos. Além de dois professores e um oceanógrafo do CECLIMAR, mais dois profissionais com experiência em monitoramento pesqueiro e cinco estagiários serão chamados. “Estamos articulando a liberação desses recursos o mais breve possível”, disse Ique.

 

A UFRGS também informa que os pescadores deverão passar por locais de desembarque onde a produtividade pesqueira será monitorada. Haverá um ponto em Imbé e outro em Tramandaí, sem local definido. Apenas pescadores cadastrados na iniciativa poderão praticar a pesca nos locais.

 

O projeto é uma antiga reivindicação dos pescadores do Litoral Norte, especialmente a partir de 2014, quando a justiça proibiu a pesca do bagre por considerar a espécie ameaçada de extinção.


Texto: Ronaldo Berwanger

Fotos

MAR - Reunião bagre 2 imagens na galeria
Ivan de Andrade

Foto: Ivan de Andrade

Foto:
Prefeitura Municipal de Imbé | Para viver sempre bem.
Av. Paraguassú, 1043
Fone: (51) 3627-8200