Editorias
Quarta-feira, 13 de Março de 2019 16:55 - Saúde

400 servidores municipais foram imunizados contra a febre amarela

A ação de saúde do trabalhador, promovida pela Secretaria Municipal de Saúde, que tem como objetivo imunizar servidores da Prefeitura contra a febre amarela, já atingiu 400 pessoas. Conforme a enfermeira coordenadora das Imunizações e Atenção Básica, Camila Alves, tanto os servidores, quanto a população em geral podem receber a dose da vacina no Posto de Saúde 24 Horas, das 7h às 19h, sem fechar ao meio dia.

 

A vacina fica disponível para pessoas com idade entre nove meses e 59 anos. “Desde 2018 o município passou a fazer parte da área de recomendação para a vacina, por isso a necessidade de facilitar o acesso às pessoas e divulgar a informação”, disse Camila. Vale lembrar que a vacina é dose única, ou seja, que já foi imunizado não precisa da dose novamente.

 

 

Orientações quanto à vacinação contra a febre amarela

 

A vacina contra a febre amarela está recomendada nas ações de rotina dos programas de imunizações (Calendário Nacional de Vacinação), e deve ser aplicada em residentes da Área Com Recomendação de Vacina (ACRV) e em viajantes que se deslocam para essa área. Como rotina, ela é ofertada em 19 estados do Brasil sendo o Rio Grande do Sul um deles.

 

A vacina é a medida mais importante para prevenção e controle da febre amarela e apresenta eficácia de 95% a 99%, além de ser reconhecidamente eficaz e segura. Entretanto, assim como qualquer vacina ou medicamento, pode causar eventos adversos como febre, dor local, dor de cabeça, dor no corpo. Para algumas pessoas a vacina é contraindicada.

 

Quem deve tomar a vacina: Pessoas de 9 meses a 59 anos.

 

Restrições:

 

Pessoas acima de 60 anos somente com recomendação médica (receita);

Gestantes somente com recomendação médica (receita, em qualquer período gestacional) e mulheres amamentando só deverão ser vacinadas se residirem em local próximo onde ocorreu a confirmação de circulação do vírus (epizootias, casos humanos e vetores na área afetada) e que não tiverem alguma contraindicação para receber a vacina.

Mulheres amamentando devem suspender o aleitamento materno por 10 dias após a vacinação e procurar um serviço de saúde para orientação e acompanhamento a fim de manter a produção do leite materno e garantir o retorno à lactação.

Pessoa vivendo com HIV/AIDS desde que não apresentem imunodeficiência grave (Contagem de LT-CD4+<200 células/mm3). Poderá ser utilizado o último exame de LT-CD4 (independente da data), desde que a carga viral atual (menos de seis meses) se mantenha indetectável.

 

 

Quem não deve tomar a vacina:

Pessoas com imunossupressão secundária à doença ou terapias.

Imunossupressoras (quimioterapia, radioterapia, corticoides em doses elevadas).

Pacientes em uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Ritoximabe).

Transplantados e pacientes com doença oncológica em quimioterapia.

Pessoas que apresentaram reação de hipersensibilidade grave ou doença neurológica após dose prévia da vacina.

Pessoas com reação alérgica grave ao ovo.

Pacientes com história pregressa de doença do timo (miastenia gravis, timoma).

 

 

Eventos adversos comuns:

Febre, dor local, cefaleia (dor de cabeça), mialgia (dor no corpo), dentre outros.


Texto: Leandro Luz

Fotos

MAR - Febre Amarela Uma imagem na galeria

Foto:
Prefeitura Municipal de Imbé | Para viver sempre bem.
Av. Paraguassú, 1043
Fone: (51) 3627-8200